sexta-feira, 27 de novembro de 2009

O H perdeu uma perna

Olá amiguinhos!

Esta semana concluímos a leitura de uma obra incluída no Plano Nacional de Leitura. A obra em questão é "O H perdeu uma perna".

Deixamos para vocês um breve resumo da mesma.


Um dia o H estava a nadar no mar e perdeu uma perna. Então resolveu ir perguntar às outras letras se a podiam ajudar. Foi até à casa do A mas o A recusou-se a ajudá-lo. De seguida foi bater à porta do B e o B também recusou ajudá-lo porque não queria ficar todo às curvas nem sem elas.
Depois o H foi bater à porta do C e perguntou se ele o H podia ajudar, porque quando estava a nadar no mar tinha perdido uma perna. O C disse-lhe que não o podia ajudar.
Depois foi bater à porta do E e contou-lhe tudo. O E esforçou-se para o ajudar mas depois imaginou o que seria sem um bocadinho dele…
Depois foi à casa do F e contou-lhe tudo com muita facilidade e o F ficou a pensar numa forma de o ajudar.
O H foi a casa do G e perguntou-lhe se ele lhe dava um bocado de si. O G respondeu que não. Ao passar pela sua casa, o H deixou cair uma lágrima.
Quando chegou a casa do I perguntou-lhe a mesma coisa que perguntou ao G. O I respondeu que não queria ficar invisível.
De seguida foi à casa do J e perguntou-lhe a mesma coisa que perguntou ao I. O J respondeu também que não lhe podia dar um bocadinho.
A seguir foi a casa do L e fez-lhe a mesma pergunta que fez ao G, ao I e ao J. O L respondeu igualmente que não o podia ajudar.
Depois dirigiu-se a casa do M e perguntou-lhe a mesma coisa que perguntou ao G, ao I, ao J e ao L , mas o M respondeu-lhe a mesma coisa que as outras letras..
O H continuava sem ninguém o ajudar, mas entretanto foi a casa do N mas teve pouca sorte, continuou a andar e foi para a casa do O mas também teve pouca sorte.
Depois foi até à casa do P e ele disse-lhe para ir a um pediatra mas ele não quis ir, por isso ficou na mesma.
Continuou a andar e foi ter a casa do Q. Este disse-lhe que ele não deveria querer ser como o D. Quixote…
Seguiu caminho e chegou a casa do R. Esse como estava a desenhar uns riscos no papel de rascunho mas o H pensou que não era razoável pedir-lhe um bocado de si.
A seguir foi para a casa do S que estava a comer salsichas e por isso não tinha possibilidade de ajudar o seu irmão H.
Quando a letra H chegou ao T, o T disse para tentar remediar a falta da perna com uma tábua. Depois de sair da casa do T o H foi bater á porta do U para ver se o U o podia ajudar, mas o U foi ultra-sensível, por isso continuou e foi ter com o X mas o X estava a tocar xilofone muito alto e por isso ele não o ouviu.
A seguir foi ter com o Z mas o Z na primeira vez disse que lhe dava zero ajudas mas depois disse que o podia ajudar... O Z reuniu todas as letras e depois de uma grande conversa entre todas lá resolveram dar uma ajuda à letra H. Assim, decidiram que cada uma das letras que tinha em si uma parte recta iria oferecer um bocadinho de si própria ao H.
As letras que não puderam dar um bocadinho delas, fizeram doces para comemorar as melhoras do H. No final, todas juntas cantaram o hino do alfabeto!
Agora, propomos que os nossos leitores adivinhem quais foram as letras que ajudaram o H...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

S. Martinho - História da Maria Castanha

Olá amiguinhos!

Comemorámos mais uma vez o S. Martinho em conjunto com os utentes do Centro Comunitário. Fizemos um linda festa, que acabou com um grande almoço convívio.

Pequenos e graúdos ficaram satisfeitos com mais esta iniciativa.

Partilhamos ainda convosco a História da Maria Castanha.


quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O Leão Kandinga

Na passada Sexta-feira, dia 30 de Outubro, esteve em Cadoços o Pedro da Biblioteca Municipal de Grândola para nos contar uma história.
A história que o Pedro nos contou foi sobre o Leão Kandinga...

Era uma vez um leão que se chamava Kandinga que comia os filhos, os amigos e todos os que se metiam à frente dele. Certa altura o leão Kandinga foi ficando mais fraco por não apanhar comida, pois todos os animais se escondiam dele. Ficou esfomeado… Foi aí, que de repente apareceu uma lebre e o leão Kandinga perguntou-lhe:
– Ó lebre, deixas-me comer-te?
– Não! - Respondeu a lebre.
A lebre teve então uma ideia, e disse ao Kandinga:
– Kandinga, o meu plano é o seguinte: escavamos um buraco enfiamos-te lá dentro eu chamo os animais para verem os teus dentes e depois saltas cá para fora e comes a carne que tu quiseres, mas com uma condição, que é dares-me metade a mim. Está bem?
Depois a lebre foi chamar os animais e disse-lhes que haviam ali uns dentes no chão e os animais lá foram ver. A girafa e o hipopótamo meteram a cabeça lá dentro e foi assim que o Kandinga os comeu. Mas o Kandinga esqueceu-se da promessa que fez à lebre e mandou a lebre embora.
No caminho a lebre encontrou uma colmeia e foi provar o mel. Depois continuou e encontrou a serpente. Como a lebre sabia que a serpente deitava veneno disse-lhe para ela ir à colmeia que havia lá mel. Depois foi dizer ao Kandinga para ir também à colmeia comer mel. Quando o Kandinga foi meter a pata para comer o mel, a serpente mordeu-lhe e ele começou a tremer…
A lebre disse-lhe que aquilo tinha sido o castigo por ele se ter esquecido da promessa…

video