terça-feira, 27 de abril de 2010

Algumas opiniões sobre o 25 de Abril


Na passada Sexta-feira, dia 23 de Abril, além de termos ouvidos alguns dos utentes do centro comunitário falar um pouco sobre o 25 de Abril fizemos um trabalho sobre o tema.

Deixamos aqui algumas frases sobre o que foi o 25 de Abril:

O dia 25 de Abril é especial porque foi o dia em que nasceu a Democracia. Antes de nascer a Democracia vivíamos numa Ditadura.
A Ditadura é como um ditado, não podem escolher, têm de fazer o que vos dizem sem reclamar senão podem ser presos. A Democracia é como uma composição, podem dar a vossa opinião, podem escolher o que quiserem.
Em Portugal antes do 25 de Abril de 1974, avia uma Ditadura e nesse dia uns militares que não queriam aquela Ditadura fizeram uma revolução e foi então que nasceu a Democracia.
Os homens que lideraram a revolução ficaram conhecidos como os capitães de Abril.
Raúl

Antes do 25 de Abril de 1974 o nosso país vivia numa ditadura, nessa altura não se podia dizer, escrever ou fazer alguma coisa que nos apetecesse senão íamos presos.
Nesse dia “25 de Abril de 1974”, uns militares que não queriam a ditadura, fizeram uma revolução e nasceu a democracia.
Na democracia as pessoas já podiam dar a sua opinião, já podiam escrever e fazer o que quisessem.
No dia em que nasceu a democracia toda a gente celebrou com os soldados que libertaram o país, esses soldados passaram a chamar-se capitães de Abril.
O mais importante é que não houve guerra por isso não houve feridos.
Havia uma florista que estava a passar ali com cravos na mão e lembrou-se de dar um cravo a cada um dos soldados, para eles meterem nas espingardas.
Por isso agora o 25 de Abril é festejado como o dia da liberdade em Portugal e os cravos vermelhos são o seu símbolo.
Ana Filipa

Antes do 25 de Abril de 1754 as pessoas viviam em Ditadura e nesse dia um grupo de militares que não gostavam da Ditadura fizeram uma revolução e nasceu a Democracia.
Na altura antes do 25 de Abril as pessoas não eram livres.
Tinham de ter muito cuidado com o que diziam e com o que escreviam se não podiam ser presos. Mas muitos grupos de homens e de mulheres de muita coragem revoltados mas apesar de alguns terem ido presos outros continuaram a reuniram-se em segredo e um dia reuniram forças para libertar o país da Ditadura porque as pessoas só podiam fazer o que lhes era ditado. Nesse dia muitas pessoas festejaram com os militares. E os militares ficaram conhecidos como os capitães de Abril.
E mais importante a nossa liberdade foi conquistada sem se derramar sangue e sem ter havido uma única morte.
Uma florista que por ali passava ofereceu um cravo vermelho a cada um dos soldados para pores nas espingardas. Assim o dia 25 de Abril ficou conhecido como o dia da liberdade e o cravo vermelho é o seu símbolo.
Ana Rita

O 25 de Abril é importante porque foi quando acabou a ditadura e começou a democracia. A ditadura é como quando o/a professor/a dita um ditado temos de fazer o que os professores ditam. A ditadura é assim temos de fazer o que nos pedem se não vamos presos. A democracia é ao contrário podemos fazer o que nos apetecer. Antes do 25 de Abril de 1974 havia uma ditadura mas no dia 25 de Abril de 1974 os militares tiveram forças e acabaram com a ditadura. Uma florista que ia a passar por ali levava cravos na mão deu um a cada militar e dês desse dia eles foram conhecidos por os capitães de Abril.
Sara

O 25 de Abril está relacionado com a democracia e da ditadura. O texto diz que antes do dia de 25 de Abril avia uma ditadura, as pessoas não podiam dar a sua opinião, tinham de ter cuidado com o que diziam e com o que escreviam se não podiam ir presos. Várias pessoas com coragem reuniam-se em grupos que outras pessoas não podiam saber. Num dia essas pessoas com coragem e os soldados foram para a rua e uma florista estava a oferecer cravos aos soldados, nem ouve guerra nem sangue derramado.
Hugo

Antes do 25 de Abril havia a Ditadura que era quando as pessoas não podiam dizer nada de mal se não iam presos. Depois veio a Democracia e as pessoas já podiam dar a sua opinião e podiam escolher o que quisessem. Nesse tempo as pessoas tinham que fazer o que eles quisessem se não iam presos. Mas um dia mulheres e homens revoltaram-se e apesar de muitos terem ido presos eles ainda começaram a reunirem-se mas um dia começaram a reunir forças para libertarem o pais esse governo a esse governo que chamavam ditadura. Mas passou uma florista a oferece-los cravos aos soldados para porem nas espingardas. É por isso é que se festeja o dia da Liberdade.
Inês

Regras de Primeiros Socorros

Na sexta-feira passada a Enfermeira Duarte foi à nossa escola explicar como se “fazem” os primeiros socorros. Os primeiros socorros são efectuados quando, depois de acontecer alguma coisa a alguém, nós tentamos logo ajudar a pessoa em questão (antes de chegarem os bombeiros ou um médico), ou seja, são o que podemos fazer para ajudar uma pessoa no local onde aconteceu o acidente ou a doença súbita.

Por exemplo Se uma pessoa desmaiar devemos endireita-la e levantar-lhe os pés para o sangue ir para a cabeça, enquanto alguém vai pedir ajuda. Se ela não acordar, nós baixamos as pernas e metemos a mão esquerda da pessoa em cima do estômago e levantamos a sua perna direita, depois levantamos o queixo da pessoa e colocamo-la de lado. Como a mão direita ficou por baixo do corpo, nós tiramo-la e pomo-la ao lado do corpo e colocamos a mão esquerda por baixo da cabeça.

Se alguém cair de um sítio alto como por exemplo de um telhado ou de um pinheiro, a primeira coisa a fazer é não ajudá-la a levantar-se porque podemos partir um osso da coluna e a pessoa pode morrer. Acalmamos a pessoa que caiu e, se a vitima estiver inconsciente, começamos-lhe a fazer as seguintes perguntas (com muita calma):
- Onde é que te dói?
- Onde é que te magoastes?
- Tens frio?
- Queres o meu casaco?...
Pedimos também para que a pessoa mexa os dedos das mãos e dos pés.
Estas perguntas são feitas para tentarmos manter essa pessoa acordada até chegar a ambulância.

A enfermeira Duarte explicou ainda que quando uma pessoa se engasga deve-se agarrá-la por trás e pressionar o tórax para dentro.

Outra regra de primeiros socorros é se um pessoa começar a deitar sangue do nariz devemos sentá-la quieta à sombra e pressionar o osso do nariz, para que o sangue estanque.

No final fizemos uma ficha sobre primeiros socorros, para verificar o que tínhamos aprendido.

video

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Folares de Páscoa

No dia 26 de Março nós, alunos da EB1, e os utentes do Centro Comunitário de Cadoços fomos fazer folares na nossa escola. A Dona Aldina, a Dona Julieta, a Dona Maria Luísa e a Dona Delfina juntaram os ingredientes dentro de um alguidar, para formar a massa dos folares e começaram a amassá-la.

Depois da massa já estar um pouco amassada pelas “profissionais”, a auxiliar Marina foi chamar-nos para amassarmos também um pouco. Colocámos um lenço na cabeça e um avental e lá começámos a pôr as mãos na massa…

Quando já todos tínhamos amassado ajeitou-se a massa, tapou-se com uma manta e deixou-se a repousar para que ela crescesse.

Depois fomos lanchar e quando acabámos de lanchar fomos jogar ao “Caça aos Ovos”. A Telma e o professor Jorge foram esconder ovos, notas e moedas de chocolate, para depois nós, em equipas, irmos procurá-los. A minha equipa”Os Trinca Espinhas” voltou a ganhar. Mas no fim dividimos os ovos por todos.

Quando chegou a hora do almoço fomos almoçar.
Depois do almoço fomos tender a massa dos folares (molda-la): Primeiro fazemos uma bola com a massa, depois tiramos uns bocadinhos da massa e fazemos 3 rolinhos e 1 rolo grande. Metemos um ovo, deitado na massa e com um dos três rolinhos metemos à volta do ovo. Com os outros dois rolinhos metemos um dum lado e outro do outro a formar um X, depois metemos o rolo grande em baixo a tapar as pontas do X.

Foram as senhoras do Centro Comunitário quem nos ensinou a fazê-lo e a Dona Aldina disse que nós deveríamos pôr o ovo deitado para ele não cair quando o folar fosse ao forno. Escrevemos ainda os nomes nos ovos, para podermos distinguir os folares.

Depois as senhoras puseram os nossos folares em dois tabuleiros e fomos para a casa da Dona Aldina para cozermos os folares no forno a lenha que ela tem.

Enquanto o forno aquecia, e até se colocarem lá os folares, nós brincámos às escondidas, mas assim que a Dona Aldina pôs os folares no forno chamaram-nos para ouvirmos algumas das frases que antigamente se diziam quando se punham pão ou folares no forno.

Enquanto os folares estavam no forno nós voltámos a brincar até eles se cozerem.

Depois de os folares estarem prontos, nós levámo-los para a escola para depois cada um de nós levar o folar que fez para casa.

video